ÁGUA: UM LITRO E MEIO POR DIA, MITO OU REALIDADE?


Está generalizado o conceito de que devemos beber um litro e meio de água por dia. Mas será mesmo assim?

A água é um macronutriente indispensável porque todas as células e sistemas do organismo dependem dela para a realização das suas funções básicas. Para além de servir de transporte de substâncias, a água desempenha a importantíssima tarefa de regulação da temperatura corporal. O corpo humano perde diariamente quantidades significativas de água através da pele, do aparelho respiratório, urina, fezes e dos mais variados tipos de secreção. Como não possuímos mecanismos de armazenamento de água, o acontece para outros nutrientes, a sua ingestão diária torna-se indispensável. Sem beber a vida não é possível para além de três dias. No entanto, a quantidade diária necessária para cada indivíduo varia de acordo com a sua idade, sexo, actividade física, temperatura ambiente, estado de saúde, hábitos alimentares, hábitos de consumo de álcool, etc, etc… Estima-se que adultos saudáveis em condições normais, tenham uma necessidade hídrica diária que ronda o litro e meio, mas para esta contabilidade entra tudo o que se come e bebe durante o dia. Se na alimentação diária entrarem sopas, frutas frescas, legumes, leite, chá, batidos, infusões, não há necessidade de acrescentar a tudo isto mais um litro e meio de água. Devemos beber de acordo com a sede, porque é reflexo da necessidade do organismo, mas a melhor forma de sabermos se bebemos suficiente é observando o aspecto da urina: pouco abundante e muito concentrada é um alerta que nos indica que devemos beber água; abundante e de cor clara, (amarelo limão), indica que bebemos suficiente.

De tudo isto se conclui que a hidratação regular pode ser conseguida por intermédio de qualquer líquido, desde água pura ou com umas gotas de sumo de limão, refrescos pouco açucarados, sumos de fruta, leite, batidos, infusões, bebidas pouco gasosas, sopas ou através de frutas e vegetais que pela sua constituição são particularmente ricos em água. As frutas e vegetais têm ainda a vantagem de possuir minerais, imprescindíveis reguladores do balanço hídrico, vitaminas e outros compostos antioxidantes. Uma fatia de melancia (98% de água), uma salada de pepino (96% de água) ou de alface (94% de água), são, seguramente, formas fáceis e apetecíveis de reforçar a hidratação diária.

Se faz uma alimentação deste tipo, não tem necessidade de se obrigar a beber mais um litro e meio, até porque pode ser prejudicial. A água a mais pode fazer mal, porque fluidifica demasiado os líquidos orgânicos com consequentes perdas de electrólitos, nomeadamente potássio, importante agente de regulação do meio interno. A hiponatrémia é o termo genericamente usado para definir a intoxicação pela água. Nada de exageros porque, em excesso, até a água faz mal!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas