NATAL À MESA


O Natal está à porta!
No dia 24, as famílias reúnem-se para a consoada, vindas de todos os lados do país e do mundo, para virem comer os saborosos bolinhos de bacalhau, os filetes de polvo, o bacalhau cozido com batatas, ovo e couve portuguesa, regados com o melhor azeite caseiro guardado especialmente para este dia. Seguem-se as sobremesas postas numa enorme mesa pródiga de belas iguarias: rabanadas, filhoses, fritinhas de abóbora, velhoses, broínhas, aletria, arroz doce, mexidos, formigos, azevias, sonhos, cuscurões,... sem esquecer o bolo-rei que os adultos acompanham com um cálice de vinho do porto. No dia 25, numa mesa cheia de frutos secos e cristalizados, come-se o perú assado recheado ou leitão ou cabrito, devidamente guarnecidos. A mesa das sobremesas mantém-se, mas sugiro que acrescentem frutas frescas porque desenjoam e ajudam a digestão.

Natal é tempo de festa e devemos vivê-lo à nossa boa maneira regional. Dias de festa são dias de fartura à mesa. Não se preocupe demasiado com a balança, porque não são os excessos cometidos em dois dias que são responsáveis por aumento significativo e sustentado de peso. Mas lembre-se, a partir do dia 26, resista a comer o que sobrou. Congele os restos porque corre o risco de prolongar os excessos gastronómicos até ao dia de ano novo, e aí tudo se pode complicar.

Termino com votos de BOAS FESTAS e com uma receita de cuscurões (fritas próprias para comer nesta época).


CUSCURÕES
Sal marinho q.b. Raspa de limão q.b. Canela em pó q.b. Erva doce q.b. Vinho branco 1 dl Azeite q.b. Canela q.b. Farinha 1 kg Açúcar q.b. Ovos 3 uni. Banha 125 g

Preparação

Numa tijela, misture todos os ingredientes envolvendo-os bem. Amasse até obter uma massa homogénea e elástica. Estenda bem a massa, esta deve ficar bem fina e corte em rectângulos. O segredo está no fritar, que deve ser numa quantidade pequena de azeite e deve-se movimentar o cuscurão com a escumadeira para ele crescer.
Polvilhe com canela e açúcar.
1 comentário

Postagens mais visitadas