ALIMENTOS, NUTRIÇÃO, ACTIVIDADE FÍSICA E PREVENÇÃO DO CANCRO: Perspectiva Global


Um dia depois de ter postado sobre alimentação e prevenção de cancro chegou às minhas mãos o livro "Food, Nutrition, Physical Activity, and the Prevention of Cancer: a Global Perspective", produzido pelo World Cancer Research Fund e pelo American Institute for Cancer Research.
Mais de 7000 trabalhos científicos, que estabelecem relações entre dieta, actividade física, sobrepeso e risco de contrair cancro, estão na base das conclusões apresentadas neste livro. Estas conclusões reuniram o consenso de um painel de 21 especialistas de renome mundial, que analisaram trabalhos de pesquisa nesta área realizados ao longo de décadas.

O objectivo do World Cancer Research Fund Global Network é " ajudar as pessoas a fazer escolhas que reduzam o risco de desenvolver cancro". Transcrevo as 8 recomendações principais:

1 - Gordura Corporal: Estar, tanto quanto possível, dentro do peso adequado para a altura. O Indice de Massa Corporal (IMC) de um adulto médio deve situar-se entre 21 e 23;

2 - Actividade Física: A actividade física deve ser diária. Limitar actividades sedentárias como ver televisão, por exemplo.
A actividade física moderada equivale a 30 minutos de caminhada por dia;

3 - Alimentos e bebidas que promovem o aumento de peso: Limitar o consumo de alimentos com densidade energética elevada (com muita gordura e/ou açúcar). Evitar bebidas açucaradas nas quais se incluem os sumos de fruta. Este tipo de alimentos e bebidas têm contribuído para o aumento global da obesidade;

4-Alimentos de origem vegetal: Comer mais alimentos de origem vegetal. Um regime alimentar que inclui elevado e variado consumo de alimentos vegetais protege de vários tipos de cancros. Talvez porque os vegetais são alimentos ricos em variadíssimos nutrientes, em fibras e têm baixa densidade energética;

5-Alimentos de origem animal: limitar o consumo de carnes vermelhas e evitar a carne processada (enchidos e fumados). O consumo de carne vermelha não deve ser superior a 300 g por semana;

6-Bebidas alcoólicas: limitar o consumo de bebidas alcoólicas. Existem fortes indícios de que o consumo excessivo é responsável por diversos tipos de cancro;

7-Conservação, processamento e preparação: Limitar o consumo de sal para não exceder 5 g diários (corresponde a 2 g de sódio). Minimizar a exposição às aflotoxinas produzidas pelo bolor. Não comer os alimentos que ganharam bolor (pão, feijão, frutas...).
Existem fortes suspeitas de que o sal e alimentos conservados pelo sal são provavelmente causa de cancro de estômago e que os alimentos contaminados com aflotoxinas (produzidas pelos bolores) são uma das causas de cancro do fígado.

8-Suplementos alimentares: As necessidades nutricionais devem ser garantidas exclusivamente pelos alimentos (excepção apenas em algumas situações de doença ou de dieta desadequada). O elevado consumo de suplementos dietéticos pode ser protector, mas também pode ser causa de cancro.

Termino com a transcrição de duas recomendações especiais, que se referem à amamentação e a pessoas que sobreviveram ao cancro:

-Alimentação ao peito: As mães devem alimentar os seus bebés exclusivamente ao peito até aos seis meses (exclusivamente significa só leite materno, sem outro alimento ou bebida, incluindo a água). A amamentação protege ambos, a mãe e a criança.

-Sobreviventes do cancro (inclui todos, mesmo os que se encontram na fase activa do tratamento): Devem seguir as 8 recomendações para a prevenção do cancro. Pode haver, no entanto, situações específicas em que estes conselhos não se aplicam momentaneamente, pelo facto do tratamento comprometer a função gastrointestinal.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas