ALIMENTAÇÃO E PREVENÇÃO DE CANCRO


Investigações que têm envolvido cientistas de todo o mundo em pesquisas e estudos acerca da relação alimentos, nutrição e cancro permitem afirmar que as práticas alimentares de cada um são importantes quer na diminuição do risco (protecção contra cada tipo de cancro), quer na possibilidade do seu aumento.
Todos os dias o nosso organismo é sujeito a "agressões" de várias origens - alimentos, poluentes atmosféricos, radiações, microorganismos, entre muitos outros.

Conhecem-se cada vez melhor os mecanismos agressores que lesam as células, mas também, para nossa sorte, dispomos de meios de defesa atentos que evitam a sua degenerescência. Na luta entre agressores e protectores, sempre presentes em tudo o que se come e bebe, está a natureza das pessoas e as vulnerabilidades induzidas por factores não alimentares. Quando se herda susceptibilidade para ter cancro e/ou se sofrem múltiplas agressões ambientais, mais cuidado e atenção se deve dar à forma como se come.

Os conhecimentos actuais permitem definir algumas regras para reduzir, a sério, a frequência e gravidade de muitos cancros:

-Limitar o consumo global de gorduras e alimentos muito gordos - fritos, folhados, assados com gordura, cremes e molhos gordos para temperar e barrar - além de outras substâncias gordas mais agressivas como gorduras vegetais hidrogenadas que estão presentes num grande número de alimentos processados industrialmente - bolos, bolachas, biscoitos, alimentos infantis, cremes vegetais para barrar o pão, etc, etc - (ler rótulos atentamente!);

-Aumentar substancialmente, no maior número de refeições, o consumo de hortaliças, legumes frescos e frutos em natureza muito coloridos e não esquecer três "branquinhos" importantes - alhos, cebolas e maçãs;

-Cereais e produtos cerealíferos completos são tidos como mais interessantes, do ponto de vista da prevenção do cancro, do que os seus equivalentes muito embranquecidos e espoados;

-Refrear o apetite, isto é, não comer demais e reduzir o mais possível o sal;

-Reduzir a utilização de alimentos fumados ou conservados em salmoura nitrosa. Os fumados impregnam-se de compostos altamente cancerígenos, por isso deve rejeitar-se a tripa dos enchidos e a camada superficial negra do presunto. É salutar comer em simultâneo frutos citrinos ou quivis, produtos hortícolas de cor verde escura, chá verde, azeitonas ou azeite porque na sua constituição entram substâncias que neutralizam a acção maléfica dos alimentos fumados.

-Consumir com moderação bebidas alcoólicas e preferir vinho tinto às principais refeições pela riqueza em compostos fenólicos antioxidantes. Não esquecer que existe uma forte relação entre o consumo elevado e regular de cerveja e bebidas alcoólicas destiladas com carcinomas da boca, laringe, pulmão, esófago, cólon, recto, relação essa muito potenciada nos que também fumam exageradamente.

Em conclusão: o cancro torna-se mais raro em pessoas que adoptam, desde cedo, um tipo de alimentação variada e equilibrada, mantendo o seu peso dentro de valores desejáveis, complementada com actividade física e hábitos de vida saudáveis sem fumo e sem álcool.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas