Pular para o conteúdo principal

UM PRATO DE LENTILHAS...


O homem conhece e utiliza leguminosas na sua alimentação, desde a Antiguidade. A lentilheira, por exemplo, é uma das mais antigas plantas cultivadas,conhecida dos egípcios e persas, pelas suas sementes nutritivas e suas ramas que dão boa forragem e adubo verde.
As leguminosas são alimentos vegetais que nascem em vagens como as favas, ervilhas, feijões, grão de bico, soja e lentilhas. Este texto dá particular ênfase às lentilhas porque o seu consumo entre nós está pouco difundido. O seu valor nutricional é indiscutível, pelo que devemos consumi-las com alguma regularidade. Transcrevo uma história curiosa que se passou com Diógenes de Sínope, filósofo grego (413 a.C.-323 a.C.) que segundo consta, vivia numa pipa ou barril e tinha como únicos bens um alforje, um bastão e uma tigela (que simbolizavam o desapego e auto-suficiência perante o mundo).

“Estava Diógenes a jantar seu costumeiro prato de lentilhas, quando Arístipos se aproximou. Arístipos, de Cirene, era também filósofo, adepto do prazer como único bem absoluto na vida. Para poder levar uma vida confortável, passava a vida a bajular o Rei.
Disse, então, Arístipos a Diógenes: —Se aprendesses a bajular o Rei, não precisarias reduzir a tua alimentação a um prato de lentilhas.
Por sua vez, Diógenes retrucou: — E tu, se tivesses aprendido a satisfazer-te sempre com um prato de lentilhas, não precisarias de passar a tua vida a bajular o Rei.”


A subsistência de Diógenes, ao que parece, foi garantida por lentilhas que comeu durante anos e que foram base da sua alimentação. De facto, um prato de lentilhas fornece um elevado teor de proteínas ricas em lisina (aminoácido essencial), de fácil assimilação, hidratos de carbono, fibra solúvel, cálcio, ferro e algumas vitaminas do grupo B o que lhes confere valor nutritivo inestimável.

Aconselho vivamente o consumo regular de lentilhas, bem como de todos os outros elementos do grupo das leguminosas, em pratos tradicionais ou como base de sopas enriquecidas com nabos, cenouras e hortaliças, dando largas à criatividade. Relembro que o consumo de leguminosas é óptimo para quem queira perder peso devido à natureza dos hidratos de carbono, de absorção lenta, e pela presença de proteínas que prolongam a saciedade. Em termos calóricos, uma batata do tamanho de um ovo equivale a 4-5 colheres de sopa de leguminosas depois de cozinhadas.

Fica uma sugestão de "Creme de Lentilhas com Cogumelos Selvagens e Azeite Virgem" (10 pessoas) do Chefe Jerónimo Ferreira:

200g lentilhas
200g Cogumelos de estufa
200g de Cogumelos selvagens
2 cebolas
2 alhos francês (em juliana)
1/2 dl de Azeite Virgem extra
2 litros de água ou caldo de legumes

Fazer um refogado ligeiro com a cebola, o alho francês, os cogumelos e o azeite. Juntar as lentilhas (demolhadas duas horas antes) e água ou o caldo de legumes. Deixar cozinhar até ficar tenro. Servir em taça de consomé.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…