sexta-feira, 30 de novembro de 2007

PRODUTOS BIOLÓGICOS PORTUGUESES


A criação da marca "PT bio" é uma das iniciativas da Semana Nacional da Agricultura Biológica, Semana Bio, que decorreu entre 17 e 25 de Novembro. Este ano, a aposta da organização foi dar mais informação aos consumidores sobre os produtos de agricultura biológica, sobre as vantagens e importância de consumir bio.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

SLOW FOOD


Depois de tanto ouvir falar de "slow food" resolvi investigar para saber melhor o que é. Eis, resumidamente, o que descobri: O termo slow food é oposto a fast food, e fast food todos sabemos que está associado a hamburgueres, pisas e a tudo o que são alimentos de consumo rápido. O "Slow Food", representado por um pequeno caracol, é um movimento internacional, iniciado em Itália por Carlo Petrini há 21 anos. A filosofia Slow Food opõe-se à uniformização dos sabores, como acontece no fast food, e defende a necessidade de informação do consumidor. Protege identidades culturais ligadas a tradições alimentares e gastronómicas; defende alimentos e comidas que possam estar em extinção devido à sobreposição das práticas indústriais relativamente às artesanais; protege processos e técnicas de cultivo herdados por tradição e também espécies vegetais e animais, domesticas e selvagens, que estejam em risco de extinção.

Esta filosofia, activa em centenas de países, está bem presente nas palavras do seu fundador:
“O Slow-food estuda, defende e divulga a tradição agrícola e gastronómica em qualquer parte do mundo para deixar o prazer de hoje à geração futura. Defende a biodiversidade e o direito das populações à sobrevivência alimentar e bate-se contra a homologação dos sabores, agricultura massiva e manipulação genética.”

O Slow Food pretende que cada um de nós redescubra o prazer de comer. É importante entender a origem da nossa comida, quem a faz e como é feita.

O Slow Food organiza eventos nacionais e internacionais como o Salone Del Gusto (a maior feira de comida e vinhos de qualidade do mundo) organizada bienalmente no Centro de Exposições Lingotto em Turim, Itália; Cheese uma feira bienal organizada na região de Piemonte, e Slowfish, uma exibição anual em Genova dedicada à pesca sustentável. Organiza a cada dois anos o evento Terra Madre, onde se realiza uma reunião entre pequenos produtores agrícolas e chefes de gastronomia de todo o mundo.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

FEIRA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Realiza-se este fim-de-semana a primeira Feira da Alimentação Saudável em Condeixa, por iniciativa da Câmara Municipal local. O programa pode ser consultado aqui.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

GRELINA - A HORMONA DO APETITE


Compreender o aumento descontrolado da massa gorda numa pessoa superobesa é, actualmente, um dos temas mais estimulantes no campo da investigação médica.

Os investigadores trabalham no sentido de entender os mecanismos que regulam o armazenamento de energia sob a forma de gordura e o modo como ocorre o aparente descontrolo desses mecanismos que levam à superobesidade.

Em 1999 um grupo de cientistas japoneses, Kojima e colaboradores, descobriu uma hormona produzida no estômago - a grelina - que parece estar implicada na regulação do apetite. Esta descoberta poderá ter sido a ponta do novelo que nos levará à etiologia da obesidade.

A grelina é uma hormona produzida no estômago que envia sinais ao cérebro provocando sensação de fome. A sua produção aumenta à medida que se aproxima a hora da refeição ou simplesmente pela visão ou odor da comida. Enquanto comemos, outros mecanismos entram em acção para diminuir gradualmente o apetite, fazendo chegar ao cérebro a informação de que já estamos a ficar cheios. A primeira fase deste processo ocorre no estômago e intestino delgado, que começam a distender-se enviando impulsos nervosos ao cérebro induzindo a sensação de saciedade. Ao mesmo tempo produzem-se hormonas a nível intestinal que são também enviadas ao cérebro aumentando a sensação de satisfação.

A liberação endógena de grelina encontra-se reduzida após ingestão alimentar, voltando progressivamente aos valores basais próximo do término do período pós-prandial. Estudos prévios envolvendo libertação dessa hormona, em humanos, mostram que são os tipos de nutrientes contidos na refeição, e não o seu volume, os responsáveis pelo aumento ou decréscimo pós-prandial dos níveis plasmáticos de grelina. Estas observações sugerem que a contribuição da grelina na regulação pós-prandial da alimentação pode diferir com o macronutriente predominante no conteúdo alimentar ingerido. Sua concentração plasmática está diminuída após refeições ricas em hidratos de carbono e está aumentada após refeições ricas em proteína animal e lipidos.

Com esta descoberta foi dado mais um passo para compreendermos o mistério do aumento desenfreado de massa gorda num superobeso. A investigação médica caminha no sentido de desenvolver novos tratamentos preventivos e regimes para combater o aumento epidémico da obesidade e de todas as desordens com ela relacionadas.

domingo, 18 de novembro de 2007

PREVENIR A DOENÇA DE ALZHEIMER


Estudo francês do Institut National de la Santé et de la Recherce Médicale
Dieta rica em ómega-3, fruta, vegetais e peixe pode reduzir risco de demências
16.11.2007 - 10h00 PUBLICO.PT


Uma dieta que contenha ómega-3, fruta, vegetais e peixe pode prevenir o risco de Alzheimer e de outras demências em 60 por cento, de acordo com um estudo de investigadores franceses do Institut National de la Santé et de la Recherce Médicale, publicado esta semana na revista da American Academy of Neurology, “Neurology”.

Os responsáveis pela investigação estudaram, ao longo de quatro anos, os hábitos alimentares de mais de oito mil pessoas, todas com mais de 65 anos e residentes nas cidades francesas de Montpellier, Dijon e Bordéus.

Todos os participantes foram submetidos a testes para excluir possíveis sinais de demência já existentes e completaram um questionário sobre os seus hábitos alimentares, exames que foram repetidos a cada dois anos.

No início do estudo nenhuma das pessoas tinha Alzheimer ou outra demência. Passados quatro anos, 183 dos participantes tinham desenvolvido Alzheimer, enquanto outros 98 desenvolveram outros tipos de demência.

Olhando para os hábitos alimentares dos pacientes, os investigadores foram capazes de estabelecer uma relação entre o tipo de alimentos ingeridos habitualmente e este tipo de doenças.

A equipa descobriu que as pessoas que tinham uma dieta rica em óleos que continham ómega-3, como o óleo de canola, linhaça ou de nozes, tinham menos 60 por cento de probabilidades de desenvolver uma demência, e os que comiam regularmente fruta e vegetais menos 30 por cento.

Consumir frequentemente peixe - pelo menos uma vez por semana - é outro ponto positivo para evitar este tipo de doenças, em 35 por cento, concluíram também os investigadores, apesar de terem afirmado que isto só se aplica a pessoas que não tenham predisposição genética.

"Tendo em consideração que a maioria das pessoas não têm o gene ApoE4 (que aumenta o risco de Alzheimer), estes resultados são muito importantes para a saúde pública", disse um dos autores do estudo, Pascale Barberger-Gateau.

"No entanto, é necessário aprofundar a pesquisa para que se identifique a quantidade e a combinação ideal de nutrientes antes de implementar recomendações nutricionais", acrescentou o investigador.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

DIA NACIONAL DO NÃO FUMADOR - 17 NOVEMBRO


O Presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia - Delegação Centro, Professor
Polybio Serra e Silva, convida todos a estar presentes nas comemorações do "Dia Nacional do Não Fumador".

De acordo com o Programa que anexamos, iremos comemorar o Dia Nacional do Não Fumador no dia 17 de Novembro de 2007.

Como mesmo todos juntos seremos poucos para lutar contra o flagelo universal que é o tabagismo contamos consigo para, juntamente connosco, no Dolce Vita às 15h ou, mais tarde, às 18h, no Pavilhão Multidesportos, nos ajudar a passar a mensagem: “ Uma maçã por um cigarro = a Melhor qualidade de Vida “.

Como temos a certeza de que o poderemos abraçar num ambiente despoluído, desde já agradecemos a sua presença.

Cumprimentos muito amigos

Polybio Serra e Silva

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

BOAS NOTÍCIAS...


Luis Sardinha - Presidente do Instituto do Desporto de Portugal (IDP)

O governo parece finalmente ter despertado para o problema do excesso de peso dos portugueses...
Foi anunciado pelo presidente do Instituto do Desporto de Portugal (IDP), Luis Sardinha, que o orçamento de Estado para 2008 prevê a redução do IVA cobrado nos serviços relacionados com actividade física e desporto (passa de 21 para cinco por cento). “Não tinha sentido que o IVA cobrado para estarmos sentados a ver futebol fosse de cinco por cento e que um serviço relacionado actividade física e desporto, como os ginásios, fosse de 21 por cento”, vincou o presidente do IDP.

Esta é uma óptima medida no âmbito da prevenção. Falta agora tratar daqueles que já têm obesidade instalada e que não estão abrangidos pela gratuitidade da cirurgia bariátrica. Refiro-me à comparticipação dos medicamentos para tratar a obesidade e à colocação de mais nutricionistas nos centros de saúde para darem apoio consistente a estes doentes. Em Portugal há dez mil doentes com obesidade mórbida muito avançada. A obesidade não é uma questão estética, é uma doença crónica!

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

CIRURGIA BARIÁTRICA

Foi anunciado ontem que o Serviço Nacional de Saúde vai comparticipar na totalidade as cirurgias de colocação de banda gástrica. Deixo-vos alguns videos que mostram técnicas cirúrgicas utilizadas no tratamento dos casos de obesidade mórbida.



Até agora, o montante comparticipado por cada cirurgia era inferior a 50 por cento do custo total da intervenção.





Os hospitais públicos vão aumentar o número de cirurgias bariátricas, a realizar em pacientes com Índice de Massa Corporal superior a 40 (obesidade mórbida), mas a prioridade são os que têm IMC igual ou superior a 50. Os pacientes com IMC igual ou superior a 35 são também abrangidos por cirurgia gratuita se tiverem indicação médica para tal.

O IMC calcula-se dividindo o peso (em quilos) pela altura (em metros) ao quadrado.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

A MODA DOS ALIMENTOS ENRIQUECIDOS


A rápida evolução que as ciências da alimentação e nutrição têm vindo a sofrer nas últimas décadas veio modificar os hábitos de comer, que passaram a estar estreitamente ligados à prevenção e cura de doenças. Os investigadores identificaram vários compostos bioactivos (nomedamente, compostos de origem vegetal, designados por fitoquímicos) com efeitos na saúde, que têm sido aproveitados pela indústria alimentar para aumentar a venda dos seus produtos. Por outro lado, cada vez mais gente se preocupa com o que ingere de modo a prevenir enfartes, tromboses e cancros, entre outras terríveis patologias, acrescentando assim anos à sua vida.

Com o objectivo da nutriprevenção e nutriterapêutica, há hoje leite enriquecido com ómega-3, cálcio, vitamina D, isoflavonas de soja, margarinas com fitosteróis, água com fibras, iogurtes para baixar o colesterol, ovos com ómega-3 que são adicionados na ração dos aviários, etc. Enfim é tal o número de produtos que proliferam nas prateleiras dos supermercados que temos de perder algum tempo à procura de um litro de leite de vaca que pastou na Natureza, uma dúzia de ovos postos por galinhas “normais” ou um um pacote das velhas bolachas “Maria”. A questão é: haverá realmente alguma vantagem em consumir alimentos enriquecidos?

De facto, nenhum destes produtos consegue substituir os alimentos próprios da época, frescos ou bem conservados, e variados todos os dias. Os alimentos tal como nos chegam da Natureza podem fornecer todos os nutrientes que necessitamos. O leite, por exemplo, sempre conteve cálcio em quantidade suficiente para satisfazer as nossas necessidades diárias. Só em situações muito especiais poderá haver vantagem num complemento deste mineral. Uma coisa é certa: se o cálcio for a mais, o organismo terá de o excretar, caso contrário, a sua lenta deposição por todo corpo, faria com que virássemos estátuas. Felizmente os rins trabalham para eliminar o cálcio excedentário, mas existe, nesse caso, a possibilidade de formação de cálculos.
Para baixar o colesterol, enriquecem-se os alimentos com fitosteróis, moléculas de origem vegetal que têm de facto uma acção benéfica, embora muito pequena, na redução de uma baixíssima percentagem de colesterol. Não se sabe, no entanto, qual a sua acção e comportamento ao adicioná-los aos iogurtes e à margarina.
A quantidade de ácidos gordos ómega-3 adicionada ao leite ou às bolachas, para prevenção cardiovascular, fica muito aquém do que é necessário e falta provar se têm o mesmo efeito dos que são ingeridos quando se come peixe gordo (sardinha, salmão, atum, cavala, etc.), o “ambiente” natural dos ácidos gordos ómega-3.
Os produtos enriquecidos podem ser uma alternativa pontual, desde que haja uma orientação da dieta alimentar por um profissional, mas é sempre melhor fixar as nossas escolhas nos alimentos frescos, simples e variados. A absorção dos nutrientes deve ser feita através dos alimentos onde existem naturalmente, devendo ser máximo o cuidado com os excessos.

É útil fazer nutriprevenção e nutriterapêutica, mas de uma forma orientada e com base em alimentos da época. Acima de tudo, não devemos permitir que a propaganda da indústria alimentar nos faça optar por alimentos enriquecidos de vantagens discutíveis mas com preço indiscutivelmente mais elevado.

domingo, 4 de novembro de 2007

UM PRATO DE LENTILHAS...


O homem conhece e utiliza leguminosas na sua alimentação, desde a Antiguidade. A lentilheira, por exemplo, é uma das mais antigas plantas cultivadas,conhecida dos egípcios e persas, pelas suas sementes nutritivas e suas ramas que dão boa forragem e adubo verde.
As leguminosas são alimentos vegetais que nascem em vagens como as favas, ervilhas, feijões, grão de bico, soja e lentilhas. Este texto dá particular ênfase às lentilhas porque o seu consumo entre nós está pouco difundido. O seu valor nutricional é indiscutível, pelo que devemos consumi-las com alguma regularidade. Transcrevo uma história curiosa que se passou com Diógenes de Sínope, filósofo grego (413 a.C.-323 a.C.) que segundo consta, vivia numa pipa ou barril e tinha como únicos bens um alforje, um bastão e uma tigela (que simbolizavam o desapego e auto-suficiência perante o mundo).

“Estava Diógenes a jantar seu costumeiro prato de lentilhas, quando Arístipos se aproximou. Arístipos, de Cirene, era também filósofo, adepto do prazer como único bem absoluto na vida. Para poder levar uma vida confortável, passava a vida a bajular o Rei.
Disse, então, Arístipos a Diógenes: —Se aprendesses a bajular o Rei, não precisarias reduzir a tua alimentação a um prato de lentilhas.
Por sua vez, Diógenes retrucou: — E tu, se tivesses aprendido a satisfazer-te sempre com um prato de lentilhas, não precisarias de passar a tua vida a bajular o Rei.”


A subsistência de Diógenes, ao que parece, foi garantida por lentilhas que comeu durante anos e que foram base da sua alimentação. De facto, um prato de lentilhas fornece um elevado teor de proteínas ricas em lisina (aminoácido essencial), de fácil assimilação, hidratos de carbono, fibra solúvel, cálcio, ferro e algumas vitaminas do grupo B o que lhes confere valor nutritivo inestimável.

Aconselho vivamente o consumo regular de lentilhas, bem como de todos os outros elementos do grupo das leguminosas, em pratos tradicionais ou como base de sopas enriquecidas com nabos, cenouras e hortaliças, dando largas à criatividade. Relembro que o consumo de leguminosas é óptimo para quem queira perder peso devido à natureza dos hidratos de carbono, de absorção lenta, e pela presença de proteínas que prolongam a saciedade. Em termos calóricos, uma batata do tamanho de um ovo equivale a 4-5 colheres de sopa de leguminosas depois de cozinhadas.

Fica uma sugestão de "Creme de Lentilhas com Cogumelos Selvagens e Azeite Virgem" (10 pessoas) do Chefe Jerónimo Ferreira:

200g lentilhas
200g Cogumelos de estufa
200g de Cogumelos selvagens
2 cebolas
2 alhos francês (em juliana)
1/2 dl de Azeite Virgem extra
2 litros de água ou caldo de legumes

Fazer um refogado ligeiro com a cebola, o alho francês, os cogumelos e o azeite. Juntar as lentilhas (demolhadas duas horas antes) e água ou o caldo de legumes. Deixar cozinhar até ficar tenro. Servir em taça de consomé.

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

"RITUAL DO DIA" NA RTP


Numa altura em que os portugueses engordam a olhos vistos e em que o governo parece adoptar uma postura autista em relação a tudo isto, eis que surge timidamente um novo espaço diário produzido na RTP intitulado "Ritual do dia". Trata-se de uma pequena rubrica de 60 segundos, a emitir nos cinco dias úteis da semana às 10 horas, antes do início da "Praça da alegria". Segundo a notícia "serão transmitidos conselhos relativamente aos hábitos e rotinas menos saudáveis dos portugueses, visando assim alterá-los, no sentido de melhorar a sua qualidade de vida.
As informações serão de cariz simples, mas validadas cientificamente, e pretendem fomentar no quotidiano da população todo um conjunto de práticas relacionadas com uma alimentação mais correcta e equilibrada, com o despertar da motivação para o exercício físico e com o combate ao stresse."

É uma boa iniciativa, mas peca por tardia e também pelo horário...