Pular para o conteúdo principal

EXPOSIÇÃO "MENINOS GORDOS..."


O Museu Antropológico da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), em parceria com o Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo dos Hospitais da Universidade de Coimbra tem o privilégio de acolher a exposição "MENINOS GORDOS: CONTAR UMA HISTÓRIA ATRAVÉS DA FAIANÇA" entre os dias 28 de Setembro e 14 de Dezembro de 2007 no seguinte horário: 2ª a 6ª feira das 9H30 às 12H00 e das 14H30 às 17H00; último fim-de-semana de cada mês das 14H00 às 18H00.

Esta exposição conta a história de dois irmãos, Ana e Mateus Perrero, nascidos em Piemonte (norte de Itália) que devido à obesidade extrema de ambos (Ana pesava 129 quilos e Mateus 201 quilos) e a sua altura muito superior à média (1,37m e 1,52m) foram exibidos como atracções de feira e de circo por toda a Europa.

Estiveram em Portugal, na corte de D.Maria II, em 1842 e a passagem pelo norte do país destes dois irmãos "belos, gigantes e gordos" causaram tanto espanto e admiração que deram origem a várias peças de faiança inspiradas na sua história: pratos, canecas e paliteiros, hoje peças raras de colecção que marcaram para sempre a sua passagem entre nós.

Algumas destas peças fazem agora parte da exposição "MENINOS GORDOS: CONTAR UMA HISTÓRIA ATRAVÉS DA FAIANÇA" que pode ser vista em Coimbra, mas que já foi apresentada no Museu Alberto Sampaio (MAS) em Guimarães, Museu de Olaria em Barcelos, Museu Municipal de Esposende e Museu Nacional Soares dos Reis no Porto.

Associado a esta iniciativa realiza-se um Ciclo de Conferências:

*17 de Outubro de 2007, 14h 30m

*Os “excessos da natureza” e a paixão do coleccionador*
Manuel Laranjeira Rodrigues de Areia, Departamento de Antropologia, Universidade de Coimbra

*15h 15m*

*Meninos gordos: todos diferentes todos iguais*
Dírcea Rodrigues, Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, Hospitais da Universidade de Coimbra

*22 de Novembro de 2007, 19h

*Meninos Gordos: contar uma história através da faiança*
Isabel Maria Fernandes, Directora do Museu de Alberto Sampaio - Guimarães

*28 de Novembro de 2007, 14h 30m

*Quando a gordura começa a deixar de ser formosura*
Irene Vaquinhas, Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra

*15h 15m

*Escola de pais, saúde de filhos*
Júlia Figueiredo, Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, Hospitais da Universidade de Coimbra

5 de Dezembro de 2007, 14h 30m

*Actividade Física, sedentarismo e obesidade. Que relações?*
Jorge Mota, Centro de Investigação em Actividade Física, Saúde e Lazer, Faculdade de Desporto da Universidade do Porto

*15h 15m

*Do saltar à corda à PlayStation: obesidade infantil numa perspectiva biocultural*
Cristina Padez, Departamento de Antropologia, Universidade de Coimbra

Entrada livre
Local - Departamento de Antropologia - Anfiteatro 1
FCTUC, Tel. 239 829 051
2 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…