Pular para o conteúdo principal

CRIANÇAS HIPERACTIVAS? ATENÇÃO AO QUE COMEM E BEBEM...


Uma investigação recente confirmou a suspeita de que existe ligação entre hiperactividade infantil e ingestão de alguns aditivos alimentares.
Um estudo publicado no jornal inglês "The Lancet" mostra que uma grande variedade de corantes alimentares e o conservante benzoato de sódio - ingrediente comum de refrigerantes, sumos de fruta e coberturas de bolos - causa, nalgumas crianças, maior excitabilidade e menor capacidade de concentração. A sensibilidade, e portanto a reacção à ingestão de sumos com estes aditivos, é diferente de criança para criança. Enquanto algumas delas não têm uma reacção evidente, outras ficam significativamente mais hiperactivas. As diferenças genéticas estão agora na mira dos cientistas para responder a estas diferentes reacções aos corantes e aditivos alimentares.

Já nos anos 70, para tratar as crianças hiperactivas, o Dr. Benjamin Finegold desenvolveu uma dieta que restringia salicilatos (substâncias similares à aspirina que se encontram numa grande variedade de alimentos), aditivos sintéticos, corantes e substâncias que se adicionam normalmente aos alimentos processados. A sua teoria baseava-se em que os salicilatos são um dos factores que provocam hiperactividade, mas este facto não se conseguiu provar nos estudos então realizados.De qualquer modo sabe-se que 10 a 25% das crianças são sensíveis aos salicilatos e outras tantas haverão sensíveis a outros aditivos alimentares. É também certo que nunca se falou tanto de hiperactividade infantil como agora e, coincidência ou não, a alimentação infantil nunca foi tão dependente da indústria que usa e abusa de corantes e aditivos para ser atractiva aos olhos deles.

Proponho a todos quantos convivem com o problema da hiperactividade infantil ou a quem tem crianças que lhes dêem apenas alimentos naturais. Sumos sim, mas feitos em casa e gomas, rebuçados, chupas ou outras goluseimas impregnadas de corantes, só em dias de festas de aniversário. Leiam os rótulos dos alimentos antes de os porem no carrinho das compras e lembrem-se do aviso que a maioria dos clínicos que acompanham crianças hiperactivas fazem aos pais: "Mantenha o seu filho afastado de corantes e conservantes!"
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Leite sem lactose não é para diabéticos

Ontem de tarde, durante a consulta de atendimento a diabéticos, um dos utentes pôs-me a questão se o leite sem lactose seria o melhor para os diabéticos. A dúvida faz todo o sentido uma vez que a lactose é o açúcar natural do leite. No entanto, este leite foi criado para pessoas intolerantes à lactose, que não digerem bem o leite por deficiente produção de lactase, a enzima necessária ao desdobramento da lactose.

Então porque é que é que o leite com 0% lactose não é bom para diabéticos?

A lactose é um hidrato de carbono complexo (dissacárido) formada por duas moléculas de hidratos de carbono simples, a glicose e a galactose (monossacáridos). O leite com 0% lactose não tem, de facto lactose, mas tem os seus constituintes, a glicose e a galactose, que são açúcares simples que fazem subir a glicémia (glicose no sangue) mais facilmente. Quem prova este leite não tem dúvidas: ele é mais doce e foi por isso que o referido doente estranhou e me apareceu com o pacote de leite sem lactose na mão…

COUVE LOMBARDA SALTEADA

Ontem para o jantar fiz couve lombarda salteada com bifinhos de peru grelhados.  É um prato super fácil de fazer que se prepara em 15 minutos.

INGREDIENTES (para quatro pessoas)
Meia couve lombarda
1 cenoura
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho
sal marinho q.b.

Depois de lavar a couve, corte-a em juliana. Descasque e rale a cenoura. 
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos picados até estes começarem a fritar. Junte a couve, a cenoura e um pouco de sal. Deixe cozinhar cerca de oito minutos mexendo com frequência (se gostar da couve mais cozida deixe cozinhar mais tempo). Está pronto! 

Acompanhei com bifinhos de peru grelhados, temperados com pimenta, pouquíssimo sal, mas com muito sumo de limão. 

Esta couve também fica bem a acompanhar qualquer tipo de peixe.
Experimentem!

O segredo de cozinhar bróculos verdes e nutritivos

Do livro "A cozinha é um laboratório" (Fonte da Palavra, 2009) transcrevo alguns conselhos para bem cozinhar os brócolos evitando, dentro do possível, perdas de nutrientes e o desenvolvimento de cores e aromas indesejáveis: "Corte-os apenas na altura de serem introduzidos na água quente. Além de os cortar em pedaços, dê um golpe longitudinal nos pedúnculos. Estes cortes têm como objectivo acelerar a cozedura, dado aumentarem a área de exposição à água quente. Adicione os brócolos à água a ferver, com o lume no máximo. Para minimizar a perda de nutrientes e ter a melhor cor final, não use muita água, nem pouca... no meio é que está a virtude! Deixe o recipiente destapado nos primeiros minutos. Cozinhe-os durante apenas cerca de 5 minutos (ficam mais estaladiços e com uma cor mais bonita). Se não os for consumir logo, passe-os por água muito fria mal sejam tirados do lume, para parar todo o processo. Como melhor alternativa, coza os brócolos em vapor. O resultado será ainda melh…