CRIANÇAS HIPERACTIVAS? ATENÇÃO AO QUE COMEM E BEBEM...


Uma investigação recente confirmou a suspeita de que existe ligação entre hiperactividade infantil e ingestão de alguns aditivos alimentares.
Um estudo publicado no jornal inglês "The Lancet" mostra que uma grande variedade de corantes alimentares e o conservante benzoato de sódio - ingrediente comum de refrigerantes, sumos de fruta e coberturas de bolos - causa, nalgumas crianças, maior excitabilidade e menor capacidade de concentração. A sensibilidade, e portanto a reacção à ingestão de sumos com estes aditivos, é diferente de criança para criança. Enquanto algumas delas não têm uma reacção evidente, outras ficam significativamente mais hiperactivas. As diferenças genéticas estão agora na mira dos cientistas para responder a estas diferentes reacções aos corantes e aditivos alimentares.

Já nos anos 70, para tratar as crianças hiperactivas, o Dr. Benjamin Finegold desenvolveu uma dieta que restringia salicilatos (substâncias similares à aspirina que se encontram numa grande variedade de alimentos), aditivos sintéticos, corantes e substâncias que se adicionam normalmente aos alimentos processados. A sua teoria baseava-se em que os salicilatos são um dos factores que provocam hiperactividade, mas este facto não se conseguiu provar nos estudos então realizados.De qualquer modo sabe-se que 10 a 25% das crianças são sensíveis aos salicilatos e outras tantas haverão sensíveis a outros aditivos alimentares. É também certo que nunca se falou tanto de hiperactividade infantil como agora e, coincidência ou não, a alimentação infantil nunca foi tão dependente da indústria que usa e abusa de corantes e aditivos para ser atractiva aos olhos deles.

Proponho a todos quantos convivem com o problema da hiperactividade infantil ou a quem tem crianças que lhes dêem apenas alimentos naturais. Sumos sim, mas feitos em casa e gomas, rebuçados, chupas ou outras goluseimas impregnadas de corantes, só em dias de festas de aniversário. Leiam os rótulos dos alimentos antes de os porem no carrinho das compras e lembrem-se do aviso que a maioria dos clínicos que acompanham crianças hiperactivas fazem aos pais: "Mantenha o seu filho afastado de corantes e conservantes!"
1 comentário

Postagens mais visitadas