sexta-feira, 28 de setembro de 2007

A COR DOS ALIMENTOS


Uma alimentação protectora e preventiva de doenças degenerativas e cardiovasculares está intimamente associada à ingestão diária de quantidades significativas de alimentos ricos em fitonutrientes, i.é., nutrientes essenciais de origem vegetal.
As várias cores que compõem a banca das frutas e vegetais no mercado, além do quadro agradável que proporciona a quem passa, têm significado e muito interesse do ponto de vista nutricional:

ALIMENTOS VERDES: são normalmente ricos em vitaminas C e E, ácido fólico, carotenóides e selénio. Ajudam a aumentar as defesas do organismo, regulam o intestino e têm potencialmente acção anticancerígena: bróculos, alface, espinafres, ervilhas, feijão verde, couve-bruxelas, repolho, agriões, nabiças, grelos, salsa, coentros, pimentos verdes, kiwi...

ALIMENTOS VERMELHOS: contêm vitamina C e carotenóides (licopeno-responsável pela cor vermelha) de comprovada acção antioxidante e, potencialmente anticancerígena, ou ambas: tomates, morangos, melancias, cerejas, ginjas, pimentos vermelhos, framboesas, groselhas, ameixas vermelhas...

ALIMENTOS COR-DE-LARANJA E AMARELOS: ricos em beta-caroteno, pro-vitamina A, vitaminas C e E de reconhecidas propriedades antioxidantes, que fazem bem à pele, aos olhos e são importantes na fase de crescimento e no estímulo do sistema imunitário: cenouras, abóbora, laranjas, tangerinas, nectarinas, abacate, papaia, maracujá, alperces, manga, pêssegos, ananás, milho, batata doce, melão...

ALIMENTOS VIOLETA E AZUIS: têm na sua constituição importantes substâncias antioxidantes chamadas flavonóides, cujas propriedades protectoras e retardadoras do envelhecimento, foram já demonstradas. São ainda fornecedores de quantidades significativas de ferro e magnésio: mirtilos, uvas pretas, ameixas, beringelas com casca, couve-roxa, beterraba...

ALIMENTOS BRANCOS: neste grupo incluem-se os frutos cujo interior é branco. Contêm quantidades muito significativas de vitaminas e minerais de acção antioxidante e de outros constituintes bioactivos com potencial acção anticancerígena: maçãs, peras, bananas, alhos, cebolas, batatas, endívias, couve-flor, alho fancês, cogumelos, nabos, rabanetes...

Com base no interesse aqui demonstrado das diferentes cores, e a variedade disponível nesta época do ano, vale a pena introduzir cor todos os dias e em todas as refeições.

As saladas podem ser a base das refeições principais, constituindo uma dieta natural à base de alimentos crus, muito saudável e que, segundo alguns autores, constitui um processo de desintoxicação ("limpeza" de toxinas) do organismo.

Faça saladas mistas em que pode incluir alface, couve-roxa, feijão verde, tomate, pepino, cebola, cenoura, alho, milho, pimentos verdes, vermelhos ou amarelos, abobrinhas, salsa, coentros, maçã, ananás, kiwi, e frutos secos como pinhões, nozes, amêndoas, nozes, passas de uva... enfim um número ilimitado de alimentos vegetais que se podem conjugar ao gosto e imaginação de cada um, tornando a alimentação protectora porque mais rica, mais variada, mais atraente e, porque não, mais colorida!

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

CRIANÇAS HIPERACTIVAS? ATENÇÃO AO QUE COMEM E BEBEM...


Uma investigação recente confirmou a suspeita de que existe ligação entre hiperactividade infantil e ingestão de alguns aditivos alimentares.
Um estudo publicado no jornal inglês "The Lancet" mostra que uma grande variedade de corantes alimentares e o conservante benzoato de sódio - ingrediente comum de refrigerantes, sumos de fruta e coberturas de bolos - causa, nalgumas crianças, maior excitabilidade e menor capacidade de concentração. A sensibilidade, e portanto a reacção à ingestão de sumos com estes aditivos, é diferente de criança para criança. Enquanto algumas delas não têm uma reacção evidente, outras ficam significativamente mais hiperactivas. As diferenças genéticas estão agora na mira dos cientistas para responder a estas diferentes reacções aos corantes e aditivos alimentares.

Já nos anos 70, para tratar as crianças hiperactivas, o Dr. Benjamin Finegold desenvolveu uma dieta que restringia salicilatos (substâncias similares à aspirina que se encontram numa grande variedade de alimentos), aditivos sintéticos, corantes e substâncias que se adicionam normalmente aos alimentos processados. A sua teoria baseava-se em que os salicilatos são um dos factores que provocam hiperactividade, mas este facto não se conseguiu provar nos estudos então realizados.De qualquer modo sabe-se que 10 a 25% das crianças são sensíveis aos salicilatos e outras tantas haverão sensíveis a outros aditivos alimentares. É também certo que nunca se falou tanto de hiperactividade infantil como agora e, coincidência ou não, a alimentação infantil nunca foi tão dependente da indústria que usa e abusa de corantes e aditivos para ser atractiva aos olhos deles.

Proponho a todos quantos convivem com o problema da hiperactividade infantil ou a quem tem crianças que lhes dêem apenas alimentos naturais. Sumos sim, mas feitos em casa e gomas, rebuçados, chupas ou outras goluseimas impregnadas de corantes, só em dias de festas de aniversário. Leiam os rótulos dos alimentos antes de os porem no carrinho das compras e lembrem-se do aviso que a maioria dos clínicos que acompanham crianças hiperactivas fazem aos pais: "Mantenha o seu filho afastado de corantes e conservantes!"

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

PREVENÇÃO CARDIOVASCULAR


As doenças cardiovasculares são hoje a primeira causa de morte nos países desenvolvidos. Os factores que fazem aumentar o risco de enfarte são bem conhecidos, mas ao mesmo tempo ignorados por todos: alcool, tabaco, hipertensão, sedentarismo, peso a mais, diabetes, colesterol, stress, menopausa, alimentação (sal, açúcar, gorduras)... Todos, ou quase todos, evitáveis. É por este motivo que cada um de nós pode ter um papel activo e preponderante na prevenção de doenças cardiovasculares. Basta para isso ter atenção ao que come, ao que bebe e ao lugar que dá à actividade física na sua vida.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO



Comemora-se no dia 30 de Setembro o DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO. A Delegação Centro da Fundação Portuguesa de Cardiologia está a organizar algumas actividades para este dia em Coimbra, das quais se destacam a "MARCHA PELO CORAÇÃO" (partida da Praça da República ás 09H00) e o "FESTIVAL DA SOPA, DA MAÇÃ E DO PÃO" (no Parque Dr Manuel Braga às 13H00).

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

PREVENÇÃO DA OBESIDADE INFANTIL

Vejam como esta mãe evita que o filho leve alimentos nada recomendáveis para casa. Isto sim, é autêntica prevenção da obesidade infantil !

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

AS CORES DA BANDEIRA NACIONAL


Olhar as cores da nossa bandeira pode ser mais do que um acto de patriotismo.Como nutricionista, proponho-lhe que olhe cada cor como a representante de grupos de alimentos de origem vegetal (legumes e frutos). Assim, o verde representa todos os alimentos de cor verde, o vermelho representa os de cores vermelha e laranja, o branco representa os de cor branca, o amarelo os de cor amarela e o azul, os de cores azul e violeta.Agora experimente, todos os dias, consumir alimentos destas cores e nestas proporções. Estará a praticar a já famosa alimentação colorida, que é protectora e preventiva de doenças degenerativas e cardiovasculares.

Faça saladas mistas variadas ou legumes cozidos ou assados em que pode utilizar alface, couve coração, couve roxa, couve-flor, bróculos, feijão verde, tomate, beringela, pepino, cebola, milho, nabo, rabanetes, pimentos verdes, vermelhos ou amarelos, abobrinhas, rebentos de soja, salsa, coentros, maçã, ananás, kiwi, mirtilos e frutos secos como pinhões, amêndoas, nozes, passas de uva, avelãs... Um número ilimitado de alimentos que se podem conjugar ao gosto e imaginação de cada um tornando a alimentação mais rica, mais variada, mais atraente e... inspirada nas cores da bandeira nacional.

AÇAFRÃO DA ÍNDIA PREVINE ALZHEIMER


A doença de Alzheimer, temida por todos, encontra a sua menor taxa em países como a Índia. Pensa-se que o consumo diário de açafrão, especiaria amarela constituinte importante da mostarda e do caril, é o factor responsável por esta evidência.

O açafrão, da mesma família do gengibre, provém do caule subterrâneo de uma planta tropical cuja acção terapêutica está a ser cuidadosamente estudada, porque está provado ser um poderoso agente anti-inflamatório com propriedades anti-cancerígenas. Desta acção anti-inflamatóriada também beneficiam o coração, vasos sanguíneos e obviamente todos os restantes orgãos. Podemos dizer que um pouco de açafrão por dia, do médico nos alivia.

Sugestão: se não é apreciador de mostarda nem de caril, experimente arroz de açafrão. É óptimo para acompanhar peixe ou carne!

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

OBESIDADE E MALNUTRIÇÃO - O PARADOXO GLOBAL


A Globalização abriu a porta a um mundo de mais de um bilião de supernutridos, mas...
800 milhões de pessoas não têm o suficiente para comer.
Duas imagens e... nem mais uma palavra!

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

RESTRIÇÃO CALÓRICA: UM PASSAPORTE PARA A LONGEVIDADE


Acaba de sair um livro muito interessante sobre longevidade com o título "O Segredo de Okinawa - passaporte para a longevidade" (Sinais de Fogo). Transcrevo aqui um pequeníssimo excerto acerca da importância da restrição calórica.

"Em Okinawa ingerem-se menos calorias do que em qualquer outro lado, e isso ao longo de toda a vida. Mas, como poderá constatar neste livro, não se tratam, em caso algum, de dietas, de privações ou de cálculos complicados! Não, muito pelo contrário. Tratam-se de escolhas alimentares diferentes. No total, em Okinawa come-se bastante mais em quantidade, mas bastante menos em calorias. Pratica-se de um modo muito natural o que os especialistas anti-idade designam como "a restrição calórica"... Esta é a única maneira, real e cientificamente provada, de prolongar os efeitos do envelhecimento.
Mas atenção: a restrição calórica nada tem a ver com a subnutrição! Trata-se de facto, de consumir precisamente aquilo de que o corpo necessita, e nem uma caloria a mais. Não é fácil, mas vale a pena, pois salvo casos particulares, comemos demasiado, ou mesmo em excesso."


Como é fácil de concluir, a alimentação dos okinawanos é baseada na escolha de alimentos com poucas calorias, portanto com uma densidade energética baixa. Alimentos com estas características são fundamentalmente os de origem vegetal (cereais, legumes e frutos), mas a alimentação só fica completa e equilibrada com a presença também dos alimentos de origem animal. Peixe, carne, ovos e lacticínios têm uma densidade energética muito mais elevada, devido à presença de gordura, pelo que são consumidos com muita moderação. Se observarmos com atenção a pirâmide alimentar (ao lado), verificamos que os alimentos que estão no topo (e que por isso são os que se devem consumir em menor quantidade) são as gorduras de adição, carne, ovos e, mesmo no vértice, os doces.

Estas são regras básicas para a prática da alimentação que considero a mais saudável. As provas estão dadas. Cabe a cada um de nós decidir e, depois... o nosso peso é o melhor indicador de que tomamos o rumo certo. Obrigada Okinawa!

terça-feira, 4 de setembro de 2007

BERINGELAS CONTRA O COLESTEROL


A beringela é o fruto da planta Solanum melongena, originária da Índia, pertence à mesma família do pimento, da batata e do tomate.

Estudos recentes realizados no Instituto de Biociências da UNESP de Botucatu - São Paulo, revelou que a beringela pode reduzir até 30% as taxas do colesterol.

É um fruto rico em vitamina A, vitaminas do complexo B (B1,B2 e B5), vitamina C e é também particularmente bom fornecedor de alguns minerais como cálcio, potássio, fósforo, ferro e magnésio. Possui alcalóides, que actuam diminuindo a pressão arterial, o que faz dela um óptimo alimento a utilizar regularmente na alimentação para prevenção cardiovascular.

Pensa-se que são estes alcalóides, os princípios activos responsáveis pela redução do colesterol sanguíneo, o que, a ser verdade, reforça ainda mais a sua acção protectora cardíaca e vascular.

São várias as formas como se podem confeccionar, desde assadas no forno juntamente com outros legumes (abobrinhas, tomate, cenoura, bróculos...), estufadas do mesmo modo, até simplesmente grelhadas, depois de partidas com casca em fatias longitudinais ou oblíquas, e temperadas apenas com azeite, muito pouco sal (senão lá se vai a protecção cardiovascular) e alho.

sábado, 1 de setembro de 2007

ONDE SE VIVE MAIS TEMPO


Okinawa (Japão), Sardenha (Itália), Loma Linda (Califórnia) e Península de Nicoya (Costa Rica) têm em comum serem os quatro sítios do mundo com maior percentagem de centenários. Os habitantes destes quatro locais, apesar de terem culturas diferentes e de geograficamente estarem muito distantes uns dos outros possuem alguns hábitos idênticos:

A alimentação tem por base cereais, legumes, verduras e frutas;
Comem pouco de cada vez, mas várias vezes ao dia;
Mantêm-se fisicamente activos. Andam a pé, de bicicleta ou trabalham no jardim ou na horta;
Alimentam o convivio social e olham a vida de forma positiva.

Qualquer um destes quatro sítios tem baixa percentagem de pessoas obesas.